ptenfrdeites

Projeto “Barbeiro do Autismo Montar”

 

Meu nome é James Williams e sou o fundador de uma organização que é chamada “Barbeiro do Autismo Montar”.  Ela foi criada quando, em uma ocasião, precisei ajudar um jovem com autismo. Estava eu ali deitado no chão com ele para fazer um corte de cabelo. Depois de um mês trabalhando com ele, eu pesquisei sobre o autismo em todo o mundo.

Em 2015, decidi fazer algo para ajudar e levantar mais a consciência sobre o autismo e como fazer os cortes de cabelo. Comecei com os barbeiros do autismo em 2016, não temos uma sede como uma organização, mas, como fundador, estou no País de Gales Reino Unido.

Não somente cortamos os cabelos, interagimos, brincamos e nos comunicamos com os autistas e suas famílias. Um barbeiro não é só um barbeiro, ele é um elo com a sociedade. Podemos juntos fazer cada vez mais e lutar por uma sociedade melhor.

O serviço é feito quando realizamos nossos eventos especiais do Dia do Autismo. As famílias podem reservar as vagas para as crianças no nosso site com os barbeiros selecionados nesse dia, e cortamos o cabelo no espaço aberto no salão. È uma experiência livre de estresse, isso significa que o barbeiro certamente estará cortando o cabelo da criança, seja no chão ou lá fora, sempre onde a fizer se sentir confortável.

O “Barbeiro do Autismo Montar” criou uma página no Facebook para ajudar a divulgar e unirmos mais barbeiros e famílias. Nós disponibilizamos alguns adesivos para barbearias, onde está escrito: “Nós, barbeiros do projeto “Barbeiro do Autismo Montar”, temos adesivos para que você possa colocar na janela da sua loja e participar do autismo amigável. Os adesivos podem ser comprados na página do Facebook.

Como fundador, minha função é atrair, capturar uma ampla audiência com  vídeos do Facebook com milhões de visualizações. Toda a equipe envolvida gosta de ajudar as famílias com autistas.

Na minha visão, o barbeiro precisa ser mais consciente dessa questão na sociedade, pensar e imaginar se ele tivesse um filho que sofresse discriminação, sendo que o que os autistas precisam é paciência e compreensão. Quando eu realizo cortes de cabelo com autistas, eu reservo uma hora do meu tempo, mas eu cobro pelo meu serviço, pois estou no meu horário de trabalho. As famílias ficam felizes mesmo pagando porque o que elas necessitam é de ajuda.

Gostaria que todos os barbeiros se conscientizassem e não tivessem medo de ajudar, quando se depararem com essas diferenças. O autista não é diferente de nós, é apenas uma  outra parte do cérebro que funciona diferente. Corte a ignorância e mude vidas!